Baterias com vida útil quase infinita?

Imagem do autor Cleiton Roberto Sanches
Cleiton Roberto Sanches
Especialista em tecnologia da Cissa Magazine
29/04/2016 3.590 visualizações comentarios

A pouca vida útil da bateria é um dos grandes problemas que os usuários de smartphones e tablets enfrentam, pois com o passar do tempo, os dispositivos móveis começam a reter menos carga, o que interfere diretamente na usabilidade do aparelho.

Essa degradação acontece, em grande parte, por causa do desgaste que os componentes da bateria sofrem, a partir de um certo tempo de uso. Depois de vários ciclos, o smartphone ou tablet não consegue segurar mais carga, interferindo diretamente nas funcionalidades do aparelho, pois o tempo de uso diário será bem menor.

Vida Útil Bateria Smartphones

Porém, uma descoberta feita por cientistas da Universidade da Califórnia, nos mostra que esse cenário tem grande chances de mudar, mesmo que a longo prazo. Acidentalmente, pesquisadores podem ter descoberto o método para criar baterias que durem infinitamente mais que as baterias de íons de lítio disponíveis atualmente.

A grande descoberta

Durante uma série de experimentos, cientistas da Universidade da Califórnia parecem ter descoberto o método para fabricar baterias que oferecem um tempo de vida muito maior.

Esses cientistas estavam em busca de um material para substituir o lítio, que é utilizado amplamente na construção de baterias para os mais variados dispositivos eletrônicos. Ao substituir os componentes, foi descoberto um método para criar baterias que duram até 400 vezes mais que as baterias atuais, possibilitando cerca de 200 mil ciclos de carga!

A busca por uma material alternativo ao lítio já é antiga, pois esse material em seu estado liquido é capaz de conduzir melhor a carga elétrica, mas se o material for exposto a altas temperaturas, há o perigo de combustão. Com isso, o risco de danificar tanto a bateria quanto a estrutura do dispositivo móvel pode ser grande se o ocorrer superaquecimento.

Durante os experimentos, os cientistas utilizaram nanofios de ouro e gel eletrocondutor no lugar do lítio, dessa forma, a bateria teve apenas 5% de perda na sua capacidade. A utilização de ouro para a construção de baterias já foi sugerida no passado, já que esse é um elemento extremamente condutor e muito mais eficiente que o lítio.

O porém, é que o ouro danifica de forma precoce quando utilizado como condutor de carga, mas os pesquisadores agora bolaram um método para evitar essa corrosão. Durante o experimento, foi utilizado dióxido de manganês para revestir os fios de ouro, além disso, o lítio também foi substituído por gel eletrocondutor. Juntos, o dióxido de mangânes e o gel eletrocontudor funcionam como uma espécie de capa protetora, evitando dessa forma a corrosão dos nanotubos de ouro.

Depois de uma série de testes, foi constatado que a bateria desenvolvida perdeu apenas 5% de sua capacidade depois de mais de 200.000 mil cargas!

Bateria Vida Quase Infinita

A grande questão é que essa ainda é uma tecnologia extremamente cara, o que consequentemente aumentaria o valor final do smartphone ou tablet. Mas já estão sendo feitas pesquisas para trocar o ouro por um material mais em conta, para dessa forma, baratear a fabricação dessa tecnologia. Um material em vista para substituir o ouro é o níquel, que também possui ótimas propriedades condutoras.

Até agora, os cientistas da Universidade da Califórnia não sabem explicar direito como ocorre exatamente a interação dos componentes desse experimento, mas é extremamente louvável a busca por novos métodos que proporcionem maior vida útil para a bateria de um smartphone ou tablet.

O que você acha de uma super bateria para smartphones? Deixe a sua opinião nos comentários.

Comentários