Cartão SIM tem seus dias contados

Imagem do autor Vinicius Censi
Vinicius Censi
Especialista em tecnologia da Cissa Magazine
20/07/2015 2.259 visualizações comentarios

O tão popular “chip” pode estar com seus dias contados e dará espaço a uma nova solução virtual.

A notícia vem do site Financial Times alegando que as duas gigantes da telefonia móvel, Samsung e Apple, estão prestes a assinar um acordo para padronizar uma nova arquitetura que deverá deixar de lado os tradicionais chips físicos e abrigar o e-SIM, o cartão eletrônico — o qual já deverá vir embutido nos aparelhos de fábrica.

Cartão SIM tem seus dias contados

Com essa nova tecnologia baseada em software você não precisaria trocar seu chip para ter acesso a uma operadora diferente, tudo aconteceria a partir da tela do seu smartphone, bastando selecionar sua preferida através de uma provável “listagem de operadoras”.

Cartão SIM

Quais as vantagens?

Assim como qualquer nova tecnologia que esteja prestes a entrar no mercado, existem previsões de como seria a telefonia móvel ao implementarem o e-SIM, mostrando que nem tudo são vantagens.

As operadoras perderiam o seu poder para as fabricantes que, caso os regulamentadores permitam, poderiam decidir quais operadoras apareceriam na sua lista, mostrando menos opções e preços ainda maiores para os consumidores. Triste, não é mesmo?

Mas isso são apenas rumores, pois tudo dependerá da GSM Association, que é a responsável por definir os padrões que todas as companhias devem seguir, assim como feito com o SIM card.

E é graças a esse grupo (GSMA) que você tem o mundo da telefonia móvel da maneira que é hoje, pois no passado o que se encontrava era uma completa bagunça, onde cada empresa estabelecia o seu próprio padrão analógico.

É importante lembrar que a segurança através de cartões SIM físicos é vulnerável e a evolução para um chip baseado em software pode proporcionar melhores e mais seguros protocolos de segurança.

Portanto, é de fato que o SIM físico morreu, mas levará muito tempo até que o e-SIM seja lançado e se popularize em um mercado onde quem dominam são os SIMs físicos.

Fonte: Financial Times

Comentários