Guia Especial: Como escolher o smartphone perfeito para você!

Imagem do autor Jackson Bagatoli
Jackson Bagatoli
Especialista em tecnologia da Cissa Magazine
12/06/2015 6.077 visualizações comentarios

É comum ficar um pouco perdido na hora de escolher seu novo smartphone. É uma tarefa delicada, pois querendo ou não, é seu dinheiro que está em jogo! Montamos uma sequência e exemplificação de características que você pode olhar na hora de escolher seu próximo smartphone. 

Não importa se você gostaria de um smartphone abaixo da faixa dos R$ 200,00 ou acima de R$ 1.500,00 — estas especificações sempre merecem máxima atenção na hora da compra. 

Como escolher o smartphone perfeito

Tela

Informações  “pipocam” o tempo todo, ainda mais com o advento da internet rápida e notificações push que têm permissão para ativar a tela do smartphone sem problemas. Hoje em dia, também é comum assistir filmes, séries ou até TV Digital — computadores desktop e até laptops perdem espaço na vida corrida, portanto: Preze por uma boa tela!

A qualidade da tela depende das tecnologias empregadas em sua fabricação e da resolução da mesma. Algumas tecnologias comuns são: LCD TFT, uma tecnologia mais avançada de LCD; LED, que usa diodos emissores de luz; as sonhadas OLED, AMOLED, Super AMOLED, e uma muito comum e de altíssima qualidade que é IPS.

Resoluções variam, em celulares menores e de entrada pode ser de até 128 x 128 pixels. Em um celular intermediário é comum a faixa dos 854 x 480 pixels que é ótima. Já para os mais exigentes, há telas HD e Full HD de 1920 x 1080 pixels.

Outra característica de máxima relevância é a capacidade touch da tela, fazendo dela uma touchscreen. O touchscreen pode ser de dois tipos: capacitivo ou resistivo. As melhores e mais atuais são as com touchscreen capacitivo, que é imediato ao toque e funciona por meio de eletromagnetismo. Identifica o dedo pela energia por ele emanada.
As telas resistivas têm perdido espaço, pois não são nada agradáveis para arrastar e fazer scroll em páginas. Elas funcionam por meio de pressão, necessitam que hava força agindo sobre ela.

Outro ponto a se avaliar na tela é, claro, o material do qual ela é feita e seu grau de durabilidade. Muitas telas acabam quebrando facilmente com quedas, a não ser que você proteja seu celular com capas e películas.

Uma leva de aparelhos têm conquistado a confiança do público com a tecnologia Gorilla Glass, da empresa Corning. Gorilla Glass 3 em alguns modelos, que já é bem resistente, e os novos vêm com Gorilla Glass 4, um vidro ainda mais aprimorado.

Processador

Parte responsável por todo o processamento, é o cérebro do aparelho e coordena a chamada de componentes, aplicativos e recursos. Não existe celular (ou qualquer equipamento computadorizado) sem um processador. Ele é o cara que faz programas abrirem de forma rápida ou não. Muitas pessoas não utilizam aplicativos muito pesados, e por tal motivo, não precisam de smartphones com processadores Octa-Core, um Quad Core bastaria.

Na escolha do processador, você vai basicamente analisar dois fatores: número de núcleos que o processador possui (Cores = corações) e também a velocidade de Clock dos mesmos, que são medidos em MHz ou GHz. Quanto mais melhor, apesar de sacrificar um pouco a bateria. No entanto, hoje os sistemas de gerenciamento de processos cuidam disto. Não utilizam núcleos que não precisam ser utilizados.

Para motivos de exemplificação, veja exemplos de smartphones e seus processadores e capacidades.

  • Nokia Lumia 630: Quad-Core (4 núcleos), e cada um funcionando a 1.2GHz;
  • Samsung Galaxy S6: Octa-Core (8 núcleos), sendo que quatro deles funcionam a 2.1 GHZ e os outros quatro trabalham a 1.5GHz;
  • Samsung Young 2 Duos: Dual Core (2 núcleos) a uma velocidade de 1GHz.

A escolha vai depender da velocidade que você considera aceitável, depende do sistema do celular (Windows Phone é supostamente mais leve do que Android), da memória e até da bateria.

Memória RAM

A dita cuja, já muito conhecida em desktops e notebooks, é também peça chave na escolha de um smartphone. A memória RAM basicamente armazena os programas que já foram abertos pelo processador e os disponibiliza para o sistema com acesso mais rápido.

Você já notou que depois que abre um aplicativo pela primeira vez ele demora mais do que se você precisar dele posteriormente de novo (sem ter desligado o aparelho)? Tudo graças à memória RAM.

Hoje em dia, a mesma varia de alguns poucos MB até alguns GB. 1GB = 1024MB.

Para contrastar, o Nokia Lumia 635 possui apenas 512MB (e roda muito bem no Windows Phone), já o Galaxy S6 Edge possui 3GB de RAM, assim como o Xperia Z3 da Sony.

Memória interna

Hoje em dia, uma da maiores preocupações da humanidade é com espaço de armazenamento, de tudo. No mundo binário, ou dos zeros e uns, a preocupação é com armazenamento de dados.

Em um celular, tudo é guardado de forma segura e eficiente na memória interna do aparelho, que ao contrário da memória RAM, mantém os dados intactos mesmo quando não estiver energizada, mesmo quando o smartphone estiver desligado.

É na memória interna que você vai armazenar aplicativos instalados, fotos, vídeos gravados, músicas, clips de áudio, documentos, planilhas eletrônicas, absolutamente tudo. Muitos celulares de entrada possuem 2GB de armazenamento, muitos possuem 4GB e aceitam expansão desta memória por meio da compra de cartão de memória.

Alguns smartphones já vem com 64GB ou até 128GB de armazenamento interno, e geralmente não possuem expansão via cartão SD. Até porque, dificilmente, você precisaria de mais do que isto.

Câmera

Boas câmeras atualmente são primordiais e ganham máximo destaque na hora de escolher um dispositivo. Todos querem câmeras em seus celulares para que não precisem levar consigo outros equipamentos pesados e nada portáteis.

As câmeras dos celulares se tornaram nossas companheiras inseparáveis, e que ativamos ao menor sinal de interesse em algo. Vemos com nossos olhos e guardamos com um click. Destaque para as GoPro.

Vários componentes de uma câmera têm peso na hora da escolha, mas alguns merecem maior destaque.

Resolução: Obviamente é o que vem à nossa mente primeiro ao falar de fotografia. É mensurada em megapixels, é o tamanho da imagem.

A câmera do Nokia Lumia 830 possui 10MP e suas fotos chegam à resolução de 3520 x 2640 pixels, e ainda grava vídeos com resolução 1080 @ 30fps (quadros por segundo – frames per second).

Outros pontos a dar atenção em uma câmera são o sensor, os tipos de lente (que impactam muito na qualidade da imagem), a presença ou não de flash e um opcional interessante é o estabilizador óptico de imagem.

Listamos os melhores smartphones para selfie aqui. Aproveite para conferir!

Conectividade

Os celulares mais básicos possuem conexão 2G, que é mais simples e permite acesso à internet por meio de WAP. Bem mais lenta do que outras conexões, mas funciona relativamente bem para quem não tem grandes demandas. Vale salientar que quando o celular é Quadriband, ele funciona com todas as operadoras brasileiras que utilizam GSM.

Se você procura um smartphone com acesso à Internet um pouco mais rápida, quer se beneficiar de redes sociais ou até mensageiros instantâneos, procure pelos smartphones 3G. Uma de suas variações mais rápidas é a HSDPA, que na verdade é a terceira geração do 3G.

Se o smartphone tiver suporte a 4G, com certeza terá suporte a 3G. Apesar de ainda não estar em muitas regiões brasileiras, é uma boa aposta. Permite acesso e abertura a sites com velocidade que não fica nada atrás de banda larga residencial.

A Wi-Fi, conexão de curto alcance mundialmente aceita, é a pedida para quem costuma acessar redes privadas em todos os lugares que vai ou até mesmo em casa. Permite velocidades estarrecedoras que só dependem do seu provedor  de internet.

Conexões alternativas para transmissão de arquivos ou troca de informações são: Bluetooth que é presente na maioria dos dispositivos (última versão sendo 4.0) e também há a famosa NFC (Near Field Communication), encontrada em smartphones mais atuais como Samsung Galaxy S6, Sony Xperia Z3 e Lumia 830. Permite manipulação de Smart Tags e até pagamentos sem fio no exterior em alguns lugares.

Design

O design, não há como negar, é uma das características que avaliamos logo de cara. Mesmo que o smartphone seja mega poderoso, se ele não for agradável aos olhos, acabamos perdendo o interesse no mesmo.

Um dos pontos que devem ser observados primeiramente é se sua capa traseira é ou não removível. Caso ela seja fixa, é provável que sua bateria também não seja substituível.

Perceba o material do qual ela é feita, já é comum termos capas traseiras feitas de alumínio, vidro ou até mesmo madeira ou couro. As mais comuns continuam sendo as plásticas, que são um pouco menos empolgantes visualmente, mas oferecem boa resistência.

Sempre há a necessidade de compra posterior de uma capa protetora, verifique esta possibilidade também, e se seu smartphone já possui capas no mercado.

Verifique os botões, relevo ou não da câmera na parte traseira, posicionamento dos botões de volume e liga/desliga.

Bateria

O cenário das baterias de smartphones já foi caótico no mundo dos portáteis, com baterias que viciavam, ou seja, se “acostumavam” com determinado nível de carga e não avançavam a partir daquele ponto. A chegada das baterias de Li-Ion ou Íons de Lítio tirou esta preocupação das pessoas.

A bateria ainda é uma das características que mais pesam na compra de um smartphone que você quer do seu lado, funcionando o tempo todo.

Sua capacidade de armazenamento é medida em miliampéres (mAh), quanto mais melhor. Alguns celulares mais simples ou smartwatches vêm com baterias de até 500 mAh que são suficientes para sua demanda energética, outros celulares maiores ou “phablets” chegam a ter baterias de mais de 3.000 mAh.

Outro ponto que conta bastante é o sistema operacional, o qual pode ter medidas para diminuir o consumo de energia em momentos de relativa inatividade, e assim economizam a carga da sua bateria enormemente.

Sistema Operacional

Definitivamente, o primeiro aspecto analisado por quem está pensando seriamente em um smartphone. Temos sete principais sistemas ou tipos de sistema.

  1. Android (Google)
  2. iOS (Apple)
  3. Windows Phone (Microsoft)
  4. Blackberry OS
  5. Firefox OS
  6. Tizen
  7. Ubuntu Touch

É bastante arriscado rotular cada sistema ou os usuários do mesmo. Pois quem ama um dificilmente ama os concorrentes.

O Android é mundialmente conhecido e utilizado na vasta maioria dos smartphones do planeta, por tal motivo, possui enorme potencial.

O iOS tem a cara da Apple, acabamento geralmente sem falhas e integração com hardware (também da Apple) perfeita.

O Windows Phone tem ganhado cada vez mais usuários e fãs ao redor do mundo. Ainda não possui tantos aplicativos quanto seus concorrentes, mas está crescendo em níveis consideráveis.

Os demais sistemas também são promissores, mas possuem quantidade de smartphones ligados aos mesmos um tanto reduzido por não serem tão populares ainda. O caso do Blackberry é diferente, pois o mesmo já foi o preferido de todos antes do advento da Apple. Agora foca em smartphones de alto valor agregado e que são adquiridos por uma parcela seleta da população.

Áudio

A qualidade de som dos dispositivos móveis é muitas vezes menosprezada por quem está prestes a comprar um novo smartphone. Mas não deveria, pois é bem frustrante reproduzir sua música preferida nos alto-falantes e perceber que a qualidade é péssima ou que não chega nem perto dos seus padrões mínimos.

Smartphones mais caros vão naturalmente proporcionar experiências de áudio mais imersivas e com áudio mais claro (ou pelo menos, isto é esperado).  Mesmo assim, vale prestar atenção em expressões como Hi-Fi Set e High Fidelity Speakers, as quais demonstram qualidade sonora acima do normal.

Ainda há smartphones como alguns da Motorola que possuem dual-speakers, dois alto-falantes que trazem mais imersão ainda.

Se você, como a maior parte das pessoas, gosta de ouvir nos fones de ouvido, não se preocupe tanto com as questões acima. Mas veja qual é o conector de áudio, que geralmente tem 3.5mm e é compatível com a maioria dos fones disponíveis.

Também fique atento à especificação de Bluetooth do aparelho, se a mesma for AD2P será possível utilizar seu smartphone pareado com outros dispositivos de áudio, como fones de ouvido sem fio, caixas de som Bluetooth e o som do carro.

Placa gráfica

Aqui está a parte que os jogadores de plantão não podem perder de jeito nenhum. Alguns celulares podem ter processadores muito bons e que são o suficiente para a maior parte dos aplicativos mas que pecam em relação à renderização de gráficos.

A grande maioria dos jogos vai sim rodar sem qualquer tipo de problema em seu smartphone caso o processador principal já seja bom, mas se a descrição do produto menciona algum tipo de GPU (Graphic Processing Unit), é garantido que ele ofereça mais fidelidade e velocidade na desenvoltura de seus jogos preferidos, com muito mais fluidez.

Pensando nisso, listamos o melhores smartphones para jogos aqui.

Teclado

Como muitas pessoas têm abandonado seus computadores e cada vez mais utilizam seus smartphones com telas imensas para fazer absolutamente tudo, a necessidade de teclados com cada vez mais precisão é crescente.

O mundo parece ter adotado touchscreen como o método de interação perfeito com seus smartphones, e por este motivo, as telas de toque evoluíram exponencialmente — hoje, são  maioria no mundo dos smartphones e smartgadgets em geral.

Para os que não conseguiram se acostumar com com telas de toque, ainda temos opções um pouco menos famosas que utilizam teclados QWERTY físicos, como alguns modelos da Blackberry.

Recapitulando

Esse foi nosso resumão de especificações que podem ajudá-lo a escolher seu próximo smartphone mais sabiamente, ou pelo menos com mais conhecimento das tecnologias que você está adquirindo.

E enfatizamos: nem todos precisam das mesmas especificações, pessoas diferentes procuram coisas diferentes e têm necessidades bem específicas.

Analise seu caso isoladamente e veja como o custo x benefício da sua compra pode surpreender.

Antes de comprar o seu smartphone, confira nosso ranking com os melhores smartphones do momento (disponíveis à venda na Cissa Magazine). Boas compras!

Comentários