Conexão 3G: Evolução e principais características

Imagem do autor Cleiton Roberto Sanches
Cleiton Roberto Sanches
Especialista em tecnologia da Cissa Magazine
09/06/2015 2.855 visualizações comentarios

Nos dias atuais, todos nós escutamos falar muito sobre a tecnologia e conexão 3G. Mas afinal, o que é isto? E por que essa característica é tão presentes em smartphones e celulares?

O 3G na verdade é uma sigla, pois essa é a terceira geração de várias tecnologias móveis presentes nas redes de operadoras de celulares. Esse conjunto de normas e recursos substituiu a antiga tecnologia 2G presente em celulares da geração passada. Para que fique bem claro, você deve ter em mente que smartphones 3G permitem aos usuários conseguir acesso aos dados da Web, isso através de planos oferecidos pelas operadoras de telefonia móvel. O 3G permite que o usuário tenha acesso aos conteúdos da internet através de tecnologia mobile, mas esse recurso também permite o acesso a várias outras facilidades, como no caso do sinal de TV Digital, além da possibilidade da realização de chamadas em vídeo.

Conexão 3G

Como já foi mencionado anteriormente, o 3G é uma evolução de antigas tecnologias de transmissão, então é bom que você conheça um pouco dessas tecnologias para entender melhor a evolução do 3G.

Os primórdios da tecnologia móvel

Quando os primeiros celulares surgiram, a transmissão de dados era precária e acontecia por meio do chamado FDMA, Frequency Division Multiplexing Access, ou Múltiplo Acesso por Divisão de Frequência, na tradução para o português. Essa era a primeira rede de transmissão de dados, o chamado 1G, que permitia apenas a transferência de voz através de sinal analógico.

Como é de costume no mundo da tecnologia, um recurso começa a ficar obsoleto com o tempo, por essa razão há uma necessidade natural de desenvolver e atualizar os recursos disponíveis no momento, para que eles passem a disponibilizar mais facilidades e fazer com que os usuários tenham acesso a um serviço mais qualificado. Com base nesse pensamento podemos constatar que a rede 2G surgiu a partir dessa necessidade, afinal essa tecnologia de transmissão passou a transferir voz e dados, possibilitando a realização de mais tarefas com o celular. O que consequentemente adicionou possibilidade para o consumidor, já que ele não precisava utilizar o seu aparelho apenas para realizar simples ligações.

Depois do 2G, naturalmente entra em cena a conexão 3G, que é a que vivemos atualmente e permite a troca de dados de uma forma rápida e eficiente, permitindo que as operadoras consigam vender planos de conexão à Internet por um preço acessível.

3G, finalmente!

Mas afinal, como é que o 3G consegue transmitir dados e também voz de quem utiliza o celular? A resposta é simples, já que isso ocorre através das ondas de rádio, essas ondas não precisam necessariamente apenas transmitir músicas, sendo capazes também de transmitir a voz e dados das redes de telefonia móvel.

É bom mencionar que a rede 3G também passou por algumas evoluções, pois existem duas variações dessa tecnologia, o 3GPP e o 3GPP2.

Entenda alguns pontos sobre essas variações:

  • 3GPP: resultado do estudo e pesquisa de várias empresas de telecomunicações, essa (primeira) variante do 3G apresenta diferentes redes, sendo que a principal diferença entre elas fica por conta da velocidade da conexão. A rede mais veloz do 3GPP (3rd Generation Partneship Project) é a chamada HSPDA, mas também existem as chamadas redes CDMA, GSM e outras;
  • 3GPP2: evolução da tradicional 3GPP, essa rede ajudou as operadoras norte americanas e asiáticas a evoluírem do antigo 2G para a novíssima rede 3G. Assim como o seu antecessor, o 3GPP2 apresenta diferentes evoluções de redes que também possuem diferentes velocidades de conexão.

Evolução do 3G

O Brasil ficou muito tempo com carência de uma conexão de qualidade, pois tínhamos a disposição um 3G lento e a rede 4G demorou a chegar ao nosso país. Por essa razão foi inserido no território nacional uma evolução do 3G, o chamado 3G+. Essa evolução nada mais era do que uma pequena “ajuda” para os usuários de smartphones, já que essa nova rede permitia a conexão mais rápida, com a velocidade de até 21MBps, muito mais do que em comparação aos 4MBps do antigo 3G. Embora não tenha feito tanta diferença, o 3G+ ainda conseguiu proporcionar mais mobilidade e velocidade para os usuários de smartphones, possibilitando uma conexão livre de lentidão, pelo menos em teoria.

O 4G é resultado de diversas pesquisas, mas ainda é uma rede cara para ser investida, por essa razão, os smartphones que possuem 4G também naturalmente apresentam a conexão 3G, pois no território nacional existem muito mais pontos de acesso 3G do que de conexões de 4ª geração.

Comentários