Conexão 4G: O que é e como funciona?

Imagem do autor Cleiton Roberto Sanches
Cleiton Roberto Sanches
Especialista em tecnologia da Cissa Magazine
11/06/2015 8.586 visualizações comentarios

A rede 4G nada mais é que a evolução das tecnologias e normas que antes eram presentes nas conexões 3G. Embora ainda seja uma tecnologia cara, o 4G está avançando cada vez mais em todo o território brasileiro, dessa forma cada vez mais regiões já podem usufruir de todos os benefícios que essa rede oferece.

Para deixar bem claro, a principal diferença entre o 4G e as antigas conexões de 3ª Geração fica por conta da velocidade de conexão, que é muito maior na conexão 4G. Enquanto o 3G oferece no máximo 4 Mbps de transmissão de dados, a meta para o 4G é que essa rede passe a oferecer entre 50 e 100 Mbps de velocidade.

As conexões de 4ª geração se preocupam muito mais com a transmissão de dados e as antigas redes davam prioridade para o tráfego de voz. Essa característica permite o surgimento de redes que garantem uma melhor transmissão de dados da internet, por essa razão o 4G consegue ser muito mais rápido para proporcionar ao usuário a melhor experiência em relação à conectividade móvel. O consumidor deve estar ciente que para se conectar com mais velocidade será necessário estar dentro da área de cobertura 4G e também ter em mãos um smartphone que possua acesso ao serviço.

Conexão 4G

Existem opções baratas de smartphones 4G, como o Motorola Moto E (2ª Geração), Nokia Lumia 635, Samsung Galaxy Win Duos, etc.

Diferenças presentes na rede 4G?

Quem possui uma certa familiaridade com todas as tecnologias móveis, já deve ter se deparado com as siglas LTE e WiMAX. Essas abreviações são utilizadas para designar as diferenças de conexão que existem dentro da rede 4G.

A rede LTE (Long Term Evolution) surgiu com base na tecnologia GSM e começou a ser utilizada por volta do ano de 2009, primeiramente estando disponível nas cidades de Oslo (Noruega) e Estocolmo (Suécia). A tecnologia LTE já sofreu modificações e é atualmente chamada de LTE Advanced. O WiMAX atua de modo semelhante ao Wi-Fi, pois a rede foi desenvolvida para evitar a incompatibilidade entre as redes de banda larga. Chamada de “Wi-Fi com esteróides”, essa tecnologia garante a comunicação em lugares mais afastados, como em áreas rurais.

Adeptos da nova tecnologia

Vale ressaltar que o LTE é muito mais popular em termos de uso do que em relação ao WiMAX, já que o LTE recebe mais investimentos e consegue atrair muito mais adeptos. Segundo alguns estudos, no ano de 2014, o número de usuário do LTE era de aproximadamente 300 milhões de usuários em todo o mundo, muito mais do quem em relação ao WiMAX, que possui “apenas” 30 milhões de adeptos.

No começo de 2014, a América Latina possuía apenas 2 milhões de usuários das rede 4G, mas ao longo do tempo, essa tecnologia passou por uma enorme expansão, chegando aos 12 milhões de adeptos em dezembro do mesmo ano, com um crescimento de incríveis 488%. Esses dados são resultados da pesquisa da associação de empresas 4G Américas, que possui em seu corpo executivo profissionais de diversas companhias, como a HP, Alcatel e AT&T.

O que vem por aí?

A tecnologia 4G LTE, embora recente, já passou por modificações e evoluções, nas quais possibilitaram o surgimento do LTE-Advanced ou simplesmente LTE-A. Essa nova rede já foi classificada erroneamente como 5G, mas especialistas apontam que o LTE-A é apenas uma grande evolução da antiga rede 4G.

A LTE-A tem como intuito promover a melhor comunicação através de dados móveis, mas o desenvolvedores dessa tecnologia esperam que futuramente a rede 4G LTE-A consiga oferecer uma taxa de pico extremamente alta, chegando à incrível velocidade de 1Gbps para dowlink (recebimento de informações), além de também desejar mais facilidades, como a compatibilidade com redes anteriores e capacidade de alcance 3 vezes maior que a antiga rede LTE.

Esse pode parecer um futuro distante, mas pelo ritmo de pesquisas e com todos os avanços em poucos anos, é possível que vejamos redes móveis cada vez mais rápidas, baratas e que ofereçam o melhor serviço na conexão à Internet através de operadoras.

Comentários