A evolução das câmeras: uma breve corrida através do tempo

Imagem do autor Vinicius Censi
Vinicius Censi
Especialista em tecnologia da Cissa Magazine
07/08/2017 1.518 visualizações comentarios

Atualmente, são poucos aqueles que conseguem se imaginar ao lado de um aparelho que não ofereça um excelente conjunto de câmeras, mas no passado isso já foi bastante diferente. Por isso, hoje vamos olhar através do túnel do tempo na tentativa de verificar e compreender o decorrer deste processo evolutivo até o momento atual ao lado do Nokia 808 PureView, que mesmo 5 anos mais tarde, ainda é o celular com a resolução de câmera mais alta com incríveis 41 megapixels.

A evolução das câmeras: uma breve corrida através do tempo

As pesquisas que antecederam os primeiros aparelhos com o recurso aconteceram em meados da década de 90, mas somente no ano 2000 o sonho se tornou realidade. O primeiro telefone a ter uma legítima câmera embutida foi o J-SH04, da Sharp, que contava com sensor de 0.1MP e, além disso, permitia que o usuário enviasse e compartilhasse seus disparos eletronicamente a partir do aparelho para outras pessoas. Para aquela época, ele estava remodelando o futuro da tecnologia a níveis sem precedentes.

J-SH04 Sharp

A necessidade que virou conceito

Tudo isso começou em 11 de junho de 1997, com a extrema necessidade de um pai muito dedicado querendo registrar e compartilhar o nascimento da filha. Na hora em que sua esposa entrou em trabalho de parto, ele começou a bolar um engenhoso plano para a época.

Camera Phone 1997

Em poucas horas, o chamado Phillippe Kahn juntou seu celular Motorola StarTAC com a câmera digital Casio QV-10, uma pioneira da época, em conjunto de um laptop Toshiba e conectou tudo isso ao sistema de speakers do StarTAC que estava dentro de seu carro. Ao todo, eram 4 dispositivos diferentes e uma verdadeira engenhambra de cabos que conectavam uns aos outros, dando origem, assim, a Sophie - e o primeiro “Câmera Phone”.

Sophie Camera Phone

Logo percebeu que era possível criar um hardware com um sensor próprio e chip de controle para fazer fotografias. Daí então levou sua ideia adiante, apresentando-a para diversas grandes empresas do ramo, como Kodak e Polaroid, mas todas sem sucesso. Somente no Japão, ao lado da Sharp, foi onde obteve sorte, criando a parceria que daria origem ao primeiro smartphone com câmera embutida, o J-SH04. 

A partir deste ponto os telefones nunca mais foram como antes. Agora a nova proposta era de disponibilizar um produto 2 em 1, garantindo que as pessoas pudessem registrar e, também, compartilhar seus momentos quase que instantaneamente com o mundo todo.

O processo evolutivo

O Audiovox PM8920 pode ter sido o primeiro aparelho a atravessar a linha de 1MP com sua câmera de 1.3MP em meados de 2004. As marcas do nicho não ficaram de fora, e a Motorola acabou lançando ao mercado os telefones da série 1000 no mesmo ano - o A1000 com foco manual, o E1000 e o flip V1000. O MPx220 com Windows, também se juntou.

Aparelhos Anos 2000

Então, no início de 2005, a Samsung apresentou o P850, um telefone celular com tela rotativa e uma câmera revolucionária, para a época, com 3.15MP. Isso soa familiar? Você pode estar imaginando o Nokia N90 que veio surgir alguns meses depois com câmera de 2MP (com óptica Carl Zeiss). Antes do final daquele ano, o Nokia N80 combinava com a Samsung em 3.15MP.

Aparelhos Anos 2005

O venerável Nokia N95 chegou a 5MP no início de 2007. A Sony Ericsson, recém chegada no mercado de telefones com câmeras, tratou de colocar o K850 em jogo. Já a LG ultrapassou com o KU990 Viewty, o primeiro telefone capaz de registrar em câmera lenta.

Aparelhos Anos 2007

2008 foi o ano dos telefones com 8MP com uma mistura de controles deslizantes e barras. A Samsung teve o i8510 INNOV8 e, logo depois, o Pixon. Neste ano a LG respondeu com o KC910 Renoir, assim como a Sony Ericsson com o C905.

Aparelhos Anos 2008

Em 2009, quando 12MP eram o cume da tecnologia, os telefones com câmera evitavam o sistema operacional Android. O Sony Ericsson Satio atuava sob comando do Symbian, já o Samsung Pixon12 era um telefone cheio de recursos. O W880, da Samsung, foi um dos lançamentos mais interessantes porque contava com zoom óptico de 3x, algo que nunca chegou a pegar, de fato (embora algumas câmeras duplas de hoje ofereçam as mesmas funcionalidades).

Aparelhos Anos 2009

Mas e onde estava a Nokia durante esse período? Um ano atrasada em termos de resolução, o N86 de 8MP saiu em 2009 e o N8, com 12MP, veio em 2010. Concedido, o sensor de 1/1.83” do N8 era enorme, mesmo quando analisado pelos padrões atuais. 

Aparelhos Nokia 2009 e 2010

Houve um breve flerte de que empresas como Motorola e Toshiba iriam lançar aparelhos com câmeras de 13MP, mas a Nokia pôs fim a todo esse debate em 2012 com o lançamento do Nokia 808 PureView - um dos melhores smartphones com câmeras de todos os tempos, batendo de frente, inclusive, com inúmeros dos high-ends atuais.

Nokia 808 PureView Projeto

Seu sensor monstruoso de 1/1.2” foi o maior que vimos em um dispositivo móvel. Para colocar isso em perspectiva, o sensor era 3x o tamanho de um sensor de 1/2.3”, como os que vimos em aparelhos como o Sony Xperia XZ Premium e o Google Pixel, atuais consagrados por contarem com os melhores sistemas de captura.

Nokia 808 PureView 41MP

O tamanho total do sensor significa que, apesar da sua enorme resolução de 41MP, os pixels ainda eram bastantes grandes a 1,4μm. Mas a genialidade do telefone estava em outro lugar: processamento de imagens maduras e aproveitamento desta resolução para permitir o zoom digital de alta qualidade para fotos de 8MP. O processamento avançado de imagens está no cerne das melhores câmeras do momento. A seguir, você confere algumas imagens tomadas pelo aparelho e nós nos manteremos imunes ao juri, deixando sob você, leitor, esta responsabilidade. Levando em consideração que ele é um aparelho "velho" para os dias atuais, o quão boa considera suas capturas?

Câmera Nokia 808 PureView 41MP

Flores Nokia 808 PureView Câmera

Teste Câmera Nokia 808 PureView

A Nokia manteve essa constante subida por tempo a mais, em 2013 saiu com o Lumia 1020 sob comando do Windows Phone. Nesta ocasião, ela manteve a resolução em 41MP, embora tenha encolhido o sensor para um tamanho ainda maior de 1/1.5” (o tamanho de pixel caiu para 1.12μm). No entanto, as contagens de megapixels caíram rapidamente após isso.

Lumia 1020 41MP

Telefones finos e uma aversão as corcundas das câmeras mataram o telefone com sensor grande, o que limitou a resolução à 20MP. A maioria dos fabricantes realmente deu um passo atrás de 16MP para 12MP, buscando, desta forma, oferecer melhor desempenho em condições de baixa luminosidade e, como os pixels ainda são bastante pequenos, as câmeras HDR+ ou duplas são usadas para melhorar a qualidade ainda mais.

Alguns fabricantes até tentaram empurrar tecnologias de “Super Resolução”, a qual combina várias tentativas, mas não traz os mesmos resultados. Desta forma, o que foi vivenciado ao lado do Nokia 808 PureView foi realmente uma sensação singular, a qual não será repetida tão em breve.

Para os usuários que pegaram a migração da tecnologia aos aparelhos móveis e puderam ter o prazer de desfrutar algum dos modelos em referência, você pode nos contar um pouquinho a respeito do que ele pode proporcionar a você? E a respeito da câmera, qual era sua sensação naquela época ao desfrutar de um aparelho com capacidades tão revolucionárias para aquele momento em específico? Deixe sua contribuição nos comentários abaixo! 😜

Fonte(s)GSMArena, TechnoBuffalo, Google.

Comentários