Os 16 Melhores Filmes de Suspense para Assistir na Netflix

Imagem do autor Kelen Vargas
Kelen Vargas
Especialista em tecnologia da Cissa Magazine
18/09/2018 10.374 visualizações comentarios

Um gênero deveras interessante e amado pelo grande público cinematográfico, os filmes de suspense fazem sucesso pelo vasto mundo de obras televisivas. A Netflix entende isso, e por este motivo é que mantém seu catálogo abastecido com ótimos títulos do gênero, com alguns sendo de produção original da própria plataforma de streaming, como Fica Comigo e TAU; sem deixar a desejar disponibilizando grandes clássicos como o filme Psicose e Dália Negra.

Blog Smarts Netflix

Para ajudar você a escolher um bom título de suspense na Netflix e não ficar perdido em meio a tantas opções de filmes do catálogo, é que nós da Cissa Magazine preparamos uma lista com os Melhores Filmes de Suspense para Assistir na Netflix. Selecionamos longas metragens que foram bem aceitas pelo grande público apreciador do gênero e que merecem ser vistas pelo máximo de pessoas possível.

Na lista a seguir, procuramos colocar os  diversos estilos de trama que descendem do gênero em questão, tem filmes de suspense psicológico, sobrenatural, policial, suspense com uma pitada de terror, ou drama, ou ambos, tramas mais surpreendentes às mais sutis, dos clássicos aos mais atuais. Enfim, tem filmes para todos os gostos e preferências.

Veja também:
→ Melhores TVs e Smart TVs de 40"
→ Melhores Séries de Comédia da Netflix
→ Melhores Filmes de Terror para Assistir na Netflix

Vale dizer que, a lista dos melhores filmes de suspense para assistir na Netflix não está estruturada em ordem de importância, todos os filmes na nossa lista de dicas tem seu ponto alto, de tal maneira que cada um apresenta uma trama diferente, à seu modo, mesmo quando a premissa segue uma mesma linha. Nossa intenção é apenas disponibilizar opções que possam lhe agradar e oferecer boas opções de entretenimento. Confira!

Os 16 Melhores Filmes de Suspense para Assistir na Netflix

1. Versões de um Crime

Se você é um apreciador de filmes com tramas que se passam em tribunal e que vão se construindo como um quebra cabeças em meio a descobertas e reviravoltas, assistir o filme Versões de um Crime é uma ótima opção de entretenimento. O filme de 2016 nos traz Keanu Reeves estrelando no papel de Richard Ramsey, um advogado que tem em suas mãos o caso do jovem Richard, que fora acusado de matar seu pai rico,  e agora o advogado Richard terá que defendê-lo, passando a desvendar fatos até então desconhecidos sobre o crime, onde até mesmo a mãe do garoto esconde informações importantes sobre o ocorrido.

Sob a direção de Courtney Hunt, Versões de Um Crime se sai muito bem como um suspense jurídico, onde em meio a falsas informações, flashbacks, versões e pontos de vistas diferentes sobre um acontecimento em comum, somos levados a tirar nossas próprias conclusões, levantando hipóteses que, ao decorrer da trama descobrimos se seguimos o caminho certo ou não - caminho este que, com tantas controvérsias de fatos, mudamos o rumo de nossos pensamentos várias vezes no decorrer do longa.

No que o filme se encaminha para um desfecho final, pode ser que você já tenha certeza do que realmente aconteceu e quem foi o responsável, será mesmo? O filme apesar de cair em alguns clichês na construção dos personagens, apresenta uma conclusão surpreendente, a tensão da narrativa chega a uma conclusão que apesar de termos juntados algumas peças, muito provavelmente não conseguimos montar o quebra cabeça sem a ajuda e descobertas do advogado Ramsey.

  2. TAU

Tau é um filme que estreou em Junho (2018) no catálogo da Netflix, conta com a direção de Federico D' Alessandro, que esteve envolvido na realização de grandes filmes como Doutor Estranho e A Múmia. A premissa da história - que podemos conferir no trailer do longa - apresenta em um primeiro momento uma jovem cometendo pequenos furtos, num segundo momento, a moça de nome Julia (Maika Monroe), é sequestrada e se encontra em uma cela escura. Com o passar dos acontecimentos seremos apresentados a TAU, uma inteligência artificial avançada, desenvolvida por Alex (Ed Skrein), o sequestrador. Este sistema artificial inteligente é o que mantém Julia e outras pessoas aprisionadas naquele local, onde são elementos de um fatal experimento científico.

O destaque de TAU fica para a parte de efeitos especiais, bem como ambientação e cenários muito bem construídos, que nos levam por meio de uma trama tecnológica e futurística, entregando um visual ao longa metragem bem interessante, conseguindo uma identidade e características próprias com um jogo de luzes preciso e bem executado. O mérito dessa construção visual super atraente fica para o diretor D'Alessandro, conseguindo deixar a narrativa mais eletrizante; junto a forte performance de Maika Monroe no papel da protagonista Julia, a trama do filme TAU torna-se super envolvente.

O filme leva o título da inteligência artificial na Trama, TAU, que no desenrolar dos fatos vai nos proporcionar o melhor ponto da história. Sua espécie de relacionamento com Julia, que devia ser sua cobaia 3, nos apresentam uma nova forma de pensar quando o assunto é ficção científica, atrelado ao conhecimento humano, onde ambos são complexos, e por vezes, acabam em um jogo mental para com àquele em frente a tela.

 3. Fica Comigo

 

Ao abrir o título Fica Comigo na Netflix, você vai se deparar com a seguinte descrição: “Após uma noite de sexo, Holly fica totalmente obcecada por Tyler e, na esperança de dar continuidade ao romance, começa a estudar na escola dele.” Isso é apenas a premissa de uma história que vai tomar proporções inimagináveis. Já que, a um primeiro momento, o que poderia ser apenas mais uma paixão adolescente, deixa de ser algo inofensivo e passa dos limites, rendendo uma trama de total tensão, que deixa o telespectador aflito com a verdade que pode vir a tona a qualquer momento.

Estrelado por Bella Thorne,  Halston Sage e Taylor John Smith, o filme de 2017 Fica Comigo, que é original Netflix, consegue acertar na receita e ser não apenas um suspense adolescente, conseguindo desenvolver uma trama envolvente, com um roteiro bem construído que consegue fazer jus ao gênero. Com a direção a cargo de Brent Bonacorso, dando vida ao roteiro de Ben Epstein, o filme Fica Comigo leva os elementos de rivalidades e desavenças do Ensino Médio a outro nível, acontecimentos que poderiam ser apenas desconfortáveis acabam tomando rumos mais profundos e intensos.

Para que gosta de filmes com uma boa pitada de tensão, que deixam qualquer um aflito sem saber quando o inevitável vai acontecer, Fica Comigo é uma ótima opção, sem pretensão de ser um grande título, é um filme super agradável e se sai muito bem dentro do que se propõe. Um filme de suspense, com um elenco jovem, mas que não cai na expectativa da velha receita de romance adolescente, ainda consegue passar de certa forma uma mensagem sobre o amor, ou ainda obsessão, e como tais sentimentos podem despertar o melhor, como também o pior de uma pessoa.

4. Antes de Dormir

 

Com um elenco de peso que inclui Nicole Kidman e Colin Firth, o filme Antes de Dormir nos apresenta a história de Christine, que fora vítima de um acidente há anos atrás, tal infortúnio resultou a deixá-la sem conseguir reter as informações recebidas ao longo do dia e torná-las memórias, assim ela acorda todos os dias sem se lembrar de nada de sua vida nos últimos 20 anos. Neste ponto, cabe a seu marido Bem lembrá-la de elementos chaves a cada despertar de Christine, através de um mural de fotos Bem tem o papel de relembrá-la sobre lembranças e acontecimentos marcantes. Em paralelo, Christine faz terapia com Dr. Nasch, que utiliza de alguns métodos para fazê-la recuperar as lembranças; seguindo esta premissa, Christine passa a descobrir que a há muito mais coisas por traz do que ela vive e do que é contado por seu marido.

O filme de 2015, Antes de Dormir, presente no catálogo da Netflix é um filme de suspense com uma boa dose de drama; sob a direção de Rowan Joffe o longa ganha um desenrolar de fatos super envolvente e por vezes, angustiante. Com um roteiro construído de forma perspicaz, a narrativa consegue nos colocar em meio a uma tensão que vai crescendo a cada nova cena com uma possível descoberta, que nos faz ansiar pelo ápice e desfecho de uma história que, em certos pontos consegue atingir pontos que podem ser descritos até mesmo como macabros.

A fotografia não deixa nada a desejar, através de belíssimas transições o filme Antes de Dormir consegue deixar belo algo trágico, porque sim, a narrativa é desgraça atrás de desgraça, com supostas revelações praticamente a cada novo diálogo, que nos fazem ficar boquiabertos em frente a tela. Toda a construção visual contribui para transmitir ao telespectador sentimentos vivenciados pela personagem principal, como a confusão, um “aprisionamento invisível”, fragilidade, insegurança e por vezes a angústia de algo que pode ser descrito como claustrofóbico.

5. Ilha do Medo

Ilha do medo é um filme de 2010, sua trama é ambientada na década de 1950 e traz Leonardo DiCaprio e Mark Ruffalo como personagens principais desta enigmática trama. De início somos apresentados ao detetive Teddy Daniels (DiCaprio), chegando ao presídio psiquiátrico na ilha Shutter, acompanhado do agente Chuck Aule (Ruffalo). Ali, eles terão que investigar o desaparecimento de uma assassina perigosa, mas eles vão encontrar muita resistência por parte de todos naquele local ao tentar conseguir informações sobre o ocorrido.

Não bastasse o clima medonho daquele lugar,  Teddy descobre práticas de má índole, experiências radicais e antiéticas por parte dos médicos para com os pacientes. Como tudo o que já é ruim pode piorar, após um furacão atingir o presídio, uma rebelião acontece, causando a fuga de vários prisioneiros, deixando a situação ainda mais perigosa. Com um ambiente envolto em sombras e elementos que podem assustar aos mais vulneráveis, bem como te prender em meio a surpreendentes revelações que vão o deixar ainda mais inquieto.

Com direção de Martin Scorsese, o longa Ilha do Medo se faz muitíssimo bem dentro do gênero de suspense, apesar dos elementos horripilantes não chega a ser um terror, mas atinge fatores de drama, que culminados a uma ambientação, cenários e interpretação impecável dos atores, geram um filme envolvente do início ao fim; fazendo com que as duas horas e tantos minutos de duração do filmes passem despercebidas por àquele em frente a tela, ao ser absorvido pela trama.

6. Psicose

Provavelmente você já deve ter assistido a este clássico de 1960, caso não, recomendamos que pare tudo o que estiver fazendo e fique por dentro da história épica do filme Psicose, que desencadeia referências em obras audiovisuais até os dias atuais. Exemplo disso, é a primorosa série Bates Motel, que traz a história da juventude de Norman Bates, o elemento principal da trama do filme Psicose, responsável pela fatídica cena do assassinato embaixo do chuveiro - sem mais detalhes, você provavelmente sabe do que estamos falando.

Para contextualizar, a sinopse do filme Psicose inclina-se a Marion Crane (Janet Leigh), uma secretária que rouba 40 mil dólares da até então imobiliária onde trabalhava e foge para dar um novo rumo a sua vida. Na fuga, fica em meio a uma tempestade que a obriga estacionar em um motel de beira de estrada e passar a noite por ali mesmo. O local é administrado pelo adorável - em primeiro momento - Norman Bates (Anthony Perkins); Marion desaparece... sua irmã e seu amante decidem investigar o que pode ter acontecido.

É bem possível que você saiba o desfecho desta história, e por isso mesmo tem conhecimento do porque é um filme que vale ser visto e revisto várias vezes, e mesmo não sendo a primeira vez assistindo Psicose, os sentimentos e todo o ar misterioso da trama sempre estão presentes. Não é fácil descrever um filme tão bem conceituado e alvo de tantas opiniões, mas é certo de que este filme de Alfred Hitchcock tem seu mérito por representar tão bem a história da sétima arte.

7. A Bela Criatura que Mora Nesta Casa Sou Eu

O longa lançado em 2016 é um filme original Netflix, A Bela Criatura que Mora Nesta Casa Sou Eu - popularizado O Último Capítulo, é um filme indicado para os amantes de um bom filme de suspense. A trama nos apresenta a jovem Lily, uma enfermeira de 28 anos que fora contratada para cuidar da já idosa Iris Blum, a qual é escritora de obras do gênero de terror. Iris, já não mais no melhor de sua mente, esconde “detalhes” importantes sobre a história e o que há na casa - vale dizer que, sim, é uma história de casa mal assombrada, mas consegue se superar em meio a uma trama que, apesar de um desenvolvimento lento, nos prende no decorrer da narrativa, e tamanha concentração na história pode nos causar alguns sustos.

Um ponto que intriga é o fato da senhora Iris sempre chamar Lily pelo nome de Polly, no que a narrativa se desenvolve vamos entendendo o porque deste ato estranho, tal como muitos outros fenômenos nada normais que acontecem na residência de Iris Blum. A enfermeira Lilly acaba por encontrar um livro de sua paciente, e acontecimentos a fazem acreditar que as palavras contidas nas páginas do tal livro podem ser uma espécie de desfecho da sua própria vida.

Isto é apenas a premissa de uma história intrigante, com tons mórbidos, que por vezes, vai lhe causar certa agonia enquanto assiste o desenrolar dos fatos. O filme O Último Capítulo ganha mérito pela perspicaz direção de Oz Perkins, brilhante atuação das personagens principais - Ruth Wilson, Paula Prentiss - que conseguem passar com maestria o incômodo que os referentes acontecimentos podem causar; bem como uma precisa trilha sonora, que favorece a atmosfera de tensão. Se você gosta de filmes de suspense que envolvem mistérios que não podem ser explicados de forma lógica, e que seguem uma linha de acontecimentos mais sutil, este original Netflix é uma boa opção de filme para assistir.

8. A Última Casa da Rua

Estrelando  Jennifer Lawrence, o filme  A Última Casa da Rua foi lançado em 2012, e você pode assistí-lo quando e onde quiser através da plataforma de streaming Netflix. Neste filme de suspense, seremos levados através de uma história que tem início ao que a adolescente  Elissa (Jennifer Lawrence) e sua mãe Sarah (Elisabeth Shue) se mudam para uma nova cidade, após a separação de Sarah. A narrativa começa a tomar forma quando elas descobrem que a casa ao lado da delas foi palco de um terrível assassinato; e claro que esse fato tem muito a render, principalmente quando Elissa faz amizade com Ryan (Max Thieriot) que é o único sobrevivente da tragédia.

O filme é dirigido por Mark Tonderai, que se saiu muito bem em construir uma história que intriga e desperta curiosidade, mesmo que, usando a fórmula infalível da casa com algum tipo de “problema”, Tonderai para com os elementos clichês do gênero por aí mesmo, já que o rumo da história de A Última Casa da Rua consegue surpreender o telespectador, desconstruindo algumas situações que poderiam facilmente cair no óbvio, e esse é um dos grandes trunfos da narrativa.

Sem muitos comentários para não acabar dando spoilers, pois a história deste filme de suspense é cheia de surpresas e situações inesperadas. Mesmo que alvo de algumas críticas, o longa A Última Casa da Rua agradou ao grande público e foi bem aceito pelos apreciadores do gênero de suspense, o que é um bom motivo para dar uma chance e gastar cerca de 1h 41min envolvida nesta história e tirar suas próprias conclusões.

9. Hush: A Morte Ouve

O filme de 2016 Hush: A morte ouve, arrasa em trazer uma personagem principal capaz de nos causar os mais bizarros sentimentos, sem emitir ao menos uma palavra. Magistralmente interpretada pela atriz Kate Siegel, Maddie  é uma escritora que vive em uma casa isolada, onde passa a maior parte do seu tempo escrevendo seu segundo romance. Maddie é surda e muda desde os seus 13 anos, sua vida é um total silêncio, o que vai dar uma atmosfera ainda mais apavorante na trama. Ao que a certo ponto vamos acompanhar Maddie ir além de seus limites físicos e psicológicos para escapar de um homem psicótico mascarado (John Gallagher Jr.) que resolveu invadir a sua casa.

Um fato interessante sobre o filme Hush: A morte ouve que vale ser comentado, é sobre como a história surgiu, em meio a uma conversa cotidiana entre Mike Flanagan (diretor do longa) e Kate Siegel (personagem principal) que são casados na vida real. Durante um jantar, conversa vai, conversa vem, e a premissa da narrativa surgiu; mesmo que bata na tecla de um maluco psicótico perseguindo um personagem em questão, este filme ganha proporções inimagináveis devido a inserção de determinados elementos.

No meio do nada, de noite, com limitações físicas que não lhe permitem gritar para pedir ajuda, tendo seus únicos meios de comunicação, como o notebook, barrados pelo perseguidor, sem saber o porquê dos atos do assustador homem, mas tendo conhecimento do que ele pretende fazer com você. Elementos que só favorecem uma história extremamente perturbadora, que vai tirar o fôlego de qualquer um em frente a tela; em meio ao silêncio que o filme fornece na perspectiva de Maddie, todo e qualquer som nos fornecido é um impacto desconcertante.

 10. A Sacada

A Sacada, filme estrelado por Nicolas Cage e Elijah Wood, respectivamente dando vida aos personagens Jim Stone e David Waters, traz dois policiais que por determinados motivos acabam bolando um plano super arriscado para roubar o dinheiro de um cofre, dinheiro esse que deriva de um esquema de tráfico de drogas da região. Ao colocar o plano em prática, eles vão descobrir que a tarefa será muito mais difícil do que eles imaginavam e ainda descobrir a enorme rede de corrupção existente por trás daquilo tudo.

Em meio a conspiração planejada pelos dois agentes e tudo o que pode e vai dar de errado, a paranoia, medo e curiosidade tomam conta da trama. Sob a direção de Benjamin Brewer e  Alex Brewer, o filme A Sacada, de 2015, é uma ótima opção de entretenimento para quem gosta do gênero thriller policial, banhado a boas doses de suspense, tensão e ação.

Além do mérito dado aos renomados Cage e Wood por suas grandes contribuições de personagens de qualidade já feitas ao cenário cinematográfico, o filme ainda acerta na ambientação e cenários envolventes, bem como proporcionando cenas que instigam e circundam nossa mente enquanto em frente a tela; ficamos presos em meio a narrativa, aguardando qual será o desfecho para a história eletrizante de A Sacada.

11. Rua Cloverfield, 10

Angústia, dúvida e um ar bizarro são elementos que ganham espaço na trama do filme Rua Cloverfield, 10. O longa de 2016 não chega a ser uma continuação do filme “Cloverfield - Monstro” mas apresenta referência e de certa forma, está ligado ao mesmo.  Com uma premissa superinteressante que logo de cara já convence a darmos play, Rua Cloverfield, 10 parte do ponto em que uma garota - Michelle (Mary Elizabeth Winstead)- acorda dentro de um bunker, antes disso ela havia terminado com o namorado e acabou sofrendo um acidente, agora está em uma cela frente a um homem que alega tê-la salvado do apocalipse.

O homem é Howard (John Goodman), um homem que só nos remete a vê-lo como estranho, que conta a Mary  que o mundo não existe mais devido a bombas nucleares. Por boa parte do filme, ficamos na mesma situação de Mary, em termos de que, não sabemos no que acreditar, já que tudo o que temos são as palavras duvidosas de Howard e nenhuma imagem do mundo exterior ao bunker - lugar onde Mary é hóspede e refém ao mesmo tempo.

O diretor Dan Trachtenberg merece o mérito por esta obra cinematográfica, onde temos que nos virar, assim como os personagens, com poucas informações que aparentam não serem confiáveis. As dúvidas e a aflição só vão aumentando, enquanto a cada nova cena a opinião de é verdade ou é mentira mudam sem que possamos evitar, presos ao dilema de Mary, que não faz ideia no que acreditar, junto a acontecimentos e atitudes de certos personagens que só nos causam um certo terror psicológico.

12. Dália Negra

O filme Dália Negra é baseado em fatos reais, mais precisamente no misterioso e brutal assassinato de uma jovem que era conhecida como Dália Negra, a qual sonhava em ser uma atriz de sucesso. O fatídico acontecimento teve como cenário a terra hollywoodiana,  Los Angeles - nos anos 1940; e até os dias de hoje é um crime que vem arrastando consigo dúvidas e meias verdades de um caso que nunca fora 100% resolvido.

No filme Dália Negra somos convidados a acompanhar a história de dois policiais investigativos, Lee Blanchard (Aaron Eckhart) e Bucky Bleichert (Josh Hartnett) que tornam-se responsáveis em desvendar o caso de Elizabeth Short (Mia Kirshner) - apelidada de Dália Negra - mas a obsessão deles em meio a fatos distorcidos podem levá-los para um caminho sem volta.

O filme Dália Negra é um longa de 2006, dirigido por Brian de Palma, que fez da narrativa um suspense policial que envolve uma história macabra, usando elementos instigantes para retratar um crime real. Com uma fotografia maravilhosa de uma Hollywood da década de 40, bem como uma trilha sonora envolvente para embalar as cenas.

13. Corpo Fechado

O filme Corpo Fechado, de 2000, é estrelado por Bruce Willis e Samuel L. Jackson. Sob a direção de M. Night Shyamalan o longa já traz uma premissa super instigante, onde David Dunne é o único sobrevivente de um terrível acidente de trem, saindo do desastre totalmente ileso. Este fato vai despertar o interesse e curiosidade de Elijah Price, um homem do qual não sabemos muita coisa, mas que alega ter solucionado o mistério por trás do ocorrido com David.

Renomado por sua performance no filme Duro de Matar, Bruce Willis continua nessa premissa no filme Corpo Fechado; brincadeiras a parte, o longa é um suspense que integra o time do melhores do gênero, agradando tanto a crítica, quanto ao grande público. Shyamalan como bom fã de HQs que é, traz para a história de corpo fechado, a construção espetacular de um super herói, vindo do mais comum dos homens.

Em meio a descobertas e acontecimentos inesperados, a trama de Corpo Fechado inclina-se à elementos que prezam pelo fantástico, a fim de surpreender o telespectador - ideia essa que consegue ser executada com maestria. Mais do que ficar imerso totalmente na história, é bem provável ainda que você deixe algumas lágrimas escaparem. Corpo Fechado é um filme de suspense, com linhas de ficção científica, atrelado ao sobrenatural, e que ainda consegue emocionar.

14. Rastros de um Sequestro

Um filme original Netflix, Rastros de um Sequestro foi lançado em 2017 e agradou os usuários da plataforma de streaming que apreciam um bom filme de suspense. O longa se enquadra em filmes estrangeiros, tendo cenário e personagens ambientados na cultura Sul Coreana, com isso a Netflix prova mais uma vez que arrasa em produções que vão além das estadunidenses, e que não só de La Casa de Papel vive a plataforma. Ao dar play no filme, você será levado a conhecer a história de dois irmãos, Jin-Seok e Yoo-Seok; Jin é o mais novo, e admira seu irmão em todo os aspectos, não por menos, já que o mais velho é um exemplo a ser seguido no trabalho, estudos e esportes. Infelizmente, tudo muda, quando Yoo é sequestrado, e volta 19 dias depois, completamente mudado e sem se lembrar do que pode ter acontecido.

Com roteiro e direção impecável de Jang Hang-jun, o filme Rastros de um Sequestro ainda traz memoráveis atuações de seus atores principais - Kang Ha-Neul e Kim Moo-Yul. Com uma trama enigmática que vai despertar a curiosidade daquele em frente a tela, com ótimas jogadas de elementos que não são o que parecem e na maior parte do tempo estão ali para te enganar sobre o que realmente está se passando, até o ponto em que tudo começa a se estruturar, ou desestruturar, depende do ponto de vista.

O filme Rastros de um Sequestro se enquadra no altíssimo padrão sul coreano em plots twist, surpreendendo o telespectador com tiradas de deixar qualquer um boquiaberto. Um filme que, sem contrapartidas de opinião, é um filme muito bom; com um mistério que ronda e encaminha a trama, ainda se estende ao gênero de drama, com uma tensão mais que essencial, que deixa tudo o que vemos totalmente envolvente e empolgante.

15. O Babadook

Um filme assustador, cheio de reflexão e tiradas que nos surpreendem, O Babadook é um filme de suspense de 2014, que se aventura no sobrenatural e na mente humana, tendo passagem e se enquadrando, por vezes, no gênero de terror. Mas independente de se o gênero é mais suspense, terror ou horror, se você procura um filme bom, bem construído, com uma história envolvente, repleto de metáforas que nos instigam a pensar sobre determinados temas, então O Babadook é uma ótima escolha de filme para assistir.

Na sinopse do filme encontramos a seguinte situação: Amelia (Essie Davis), uma mulher debilitada emocionalmente, que mesmo após anos da morte de seu marido, ainda não superou a perda. Amelia tem um filho pequeno de nome Samuel (Noah Wiseman), um garoto rebelde, o qual ela sente certa dificuldade de amar - mas não se apegue apenas nestas singelas palavras, pois estes sentimentos e relação são muito mais complexos e abrangem muito mais do que pode ser dito.

Samuel tem sonhos nada agradáveis com um monstro assustador, e certo dia encontra um livro com título de Babadook, logo ele percebe a ligação com seus sonhos e em meio a determinados acontecimentos, o menino interpreta que o Babadook pretende matá-lo, deste ponto em diante o garoto passa a agir de um modo estranho, desagradável e absurdo e temos uma Amelia desesperada, confusa e aflita com algo que não pode acreditar, tal como controlar.

 16. Um contratempo

Mais um filme estrangeiro chega para integrar e fechar nossa lista com os melhores filmes de suspense para assistir na Netflix. Um Contratempo, é um longa que foi lançado em 2016. Sob a direção de Oriol Paulo, nos apresenta a história de Adrian Doria (Mario Casas), um empresário bem sucedido na carreira profissional, com uma família perfeita, e uma amante que concorda com o até então relacionamento dos dois. Mas o mundo deste empresário vira de cabeça para baixo, quando ele acorda em um quarto junto a sua amante assassinada, sem entender o que está acontecendo, em meio a uma situação que não o favorece em nada, ele vai precisar de uma boa advogada para ajudá-lo a resolver e sair dessa situação.

Um filme que capricha na paleta de cores, fazendo uso de tons que harmonizam a frieza de fatos, junto ao calor do momento, resultando em uma fotografia que impacta e transmite ao telespectador o sentimento vivido em cena pelos personagens - confusão, angústia, pavor. Tal como explorando as ambições, instintos e os limites mais intensos do ser humano, com ações e reviravoltas que nos fazem querer juntar as peças o tempo todo, a fim de encontrar a verdade por trás de tantas mentiras e meias verdades.

Um contratempo é um filme que te puxa para dentro de uma espécie de realidade alternativa intrigante, baseado nas mazelas reais da vida humana. Lançado em 2016, ficou entre os melhores filmes de suspense do ano, agradando ao grande público tão bem quanto a crítica. Você pode conferir o desenrolar dos fatos e desfecho deste filme, bem como o de todos os outros da nossa lista de filmes de suspense, na Netflix.

Comentários