Samsung admite: Note 7 não foi apenas um erro, foi uma revolução

Imagem do autor Vinicius Censi
Vinicius Censi
Especialista em tecnologia da Cissa Magazine
24/02/2017 5.609 visualizações comentarios

Assim que lançado, o Note 7 foi um verdadeiro sucesso de imediato. A novidade, no entanto, não demorou muito para tomar um rumo completamente diferente. Os novos dispositivos estavam apresentando problemas de desligamento, superaquecimento e, até mesmo, explosões, o que levou a empresa efetuar recall instantâneo, trazendo consigo um prejuízo estimado em 5,3 bilhões de dólares.

Note 7 Explosão

Fazer o recall de um produto é um processo que envolve muito desgaste, ainda mais quando ele é vendido em território mundial, e ultrapassar a marca dos 30% de retorno é sempre um grande desafio. Mas a Samsung estava, de fato, realmente compromissada em colocar um ponto final neste capítulo, tendo, como objetivo final, recolher 100% de todos os aparelhos em circulação.

Para isso, uma operação global foi iniciada. Mensagens de texto e emails foram enviados a todos os compradores. Além disso, trabalharam em conjunto das operadoras de telecomunicações com o intuito de desenvolver uma atualização de software capaz de desativar a capacidade de carregamento do Note 7, o deixando completamente inutilizável, forçando, consequentemente, a sua devolução.

Nessas alturas, todo o mundo já estava ciente do grande perigo em circulação. Até mesmo a DOT (Departamento de Transporte) baniu a presença do aparelho nos aviões, uma atitude completamente necessária que evitou a possibilidade de acidentes com proporções ainda maiores.

DJ Koh, responsável pela divisão de dispositivos móveis da Samsung Electronics, disse em uma entrevista, que “a inovação tem que andar ao lado de uma fabricante, mas a segurança dos clientes está sendo a máxima prioridade. Queremos restabelecer a confiança em nossa marca.”

Mas, para conseguir isso, a empresa teve que identificar a causa do problema no Galaxy Note 7 e aplicar as lições aprendidas no processo de desenvolvimento dos novos produtos. Para isso, um novo e completamente avançado laboratório de testes foi construído. Nele, cerca de 700 pesquisadores, 30 mil baterias e 200 mil aparelhos foram reunidos com o objetivo de replicar e compreender o motivo dos incidentes.

Testes Baterias Dispositivos Samsung

Além disso, outros três laboratórios especializados no setor foram convocados para avaliar questões de software, hardware, fabricação e, até mesmo, logística. Em resumo, absolutamente tudo foi testado e retestado, desde cabos USB-C ao carregamento sem fio. Já as conclusões revelaram a mesma causa: a principal culpada por de trás dos incêndios do Samsung Galaxy Note 7 foram as baterias defeituosas.

O que realmente aconteceu?

O problema com a primeira versão do Note 7 - o qual foi denominado “Bateria A” - era de que o eletrodo negativo da bateria possuía um ligeiro desvio na sua movimentação, permitindo que tanto cargas positivas como negativas se encontrassem. E quando isso acontece, incêndios se manifestam.

Bateria A Samsung

Percebida a falha, o programa de substituição foi lançado, alterando os antigos aparelhos por novas versões. Até aí tudo bem. Só que não demorou muito para que a gigante-sul coreana recebesse novos relatos citando os mesmos problemas com os aparelhos substituídos.

Na segunda tentativa, o Note 7 teve sua bateria substituída por uma nova e de um fabricante diferente, o que, teoricamente, deveria resolver o problema. Porém, essa nova versão, denominada “Bateria B”, possuía rebarbas de solda fora do comum e isso estaria causando contato direto entre a parte positiva e o eletrodo negativo, resultando no mesmo efeito.

Bateria B Samsung

A responsável pela fabricação da “Bateria A” foi a própria subsidiária da empresa, a Samsung SDI. Já a “Bateria B” foi fabricada por uma empresa chinesa altamente especializada no segmento, a Amperex Technology.

Mas então, onde está a culpa da Samsung dentro de tudo isso? Mesmo que ela tenha encontrado problemas com as fabricantes de bateria, é de sua total responsabilidade escolher e certificar seus fornecedores antes de integrar as tecnologias e vendê-los aos clientes.

Justin Denison, vice-presidente sênior de Marketing e estratégia de produto, afirmou que “somos os únicos que se associam com nossos fornecedores para definir as especificações de nossos produtos, é aí que assumimos a responsabilidade. Nosso processo de testes com relação à garantia de qualidade é extremamente intenso e robusto, excedendo os padrões da indústria, mas nem isso foi capaz de detectar as falhas ocorridas”.

Bateria Teste Samsung

Um novo comprometimento

Em resposta aos problemas com o Note 7, a empresa apresentará o que chama de “teste de 8 pontos de Segurança da Bateria”. Os oito passos são:

  1. Teste de Durabilidade: levam a bateria a intenso nível estresse através de sobrecarga, punção e temperatura máxima;
  2. Inspeção Visual: todas as baterias são inspecionadas visualmente com base em orientações padronizadas e objetivas;
  3. Raio-X: inspecionar por fora é fácil, já por dentro somente com essa tecnologia, permitindo que qualquer anormalidade interna possa ser detectada;
  4. Teste de Carga e Descarga: as baterias são submetidas a testes rigorosos de carga e descarga com o intuito de acompanhar suas reações;
  5. Teste TVOC: para assegurar que não exista a menor possibilidade de que o composto orgânico volátil vaze;
  6. Teste de Desmontagem: a bateria é completamente desmontada para que sua qualidade possa ser averiguada, incluindo as condições de soldagem da aba da bateria e fita isoladora;
  7. Teste de Uso Acelerado: simula condições de uso de forma bem mais intensa que qualquer usuário seja capaz de fazer;
  8. Teste △OVC: verifica mudanças na voltagem durante todo o processo de fabricação, desde os pequenos componentes ao dispositivo finalizado.

Teste Baterias Samsung

A companhia também anunciou que pretende contribuir para o mercado de baterias de íons de lítio em geral, permitindo que outros fabricantes de dispositivos possam solicitar as mesmas inspeções.

Em resumo, todo o cenário da indústria parece estar se modificando. Para alguns, todo esse trâmite só causou problemas, para outros, uma verdadeira revolução. Agora, o mercado, como um todo, irá receber dispositivos ainda mais seguros, uma vez que todo esse cenário não queira mais ser vivenciado.

E apesar da Samsung ter passado por um momento crítico, ela reagiu rapidamente e de uma forma totalmente inesperada, lidando com uma verdadeira guerra para resolver todos os problemas. Desse modo, e ao lado dos novos processos de qualidade, a gigante sul-coreana tem de tudo para fazer do Galaxy S8 um verdadeiro triunfo.

Mas e você, com todas as fichas nas mãos, apostaria novamente na Samsung? Deixe a sua contribuição nos comentários abaixo! Emoticon Piscando

Fonte(s): Android CentralSamsungPocket NowCNet.

Comentários